quinta-feira, julho 28, 2011

Felina satisfação

Passa sorrateira,

roçando nos móveis do seu palácio.

Não deixa encalços.

Não faz estrompidos.


O longo rabo termina em interrogação.

Olhos verdes esmeralda

e pantufa entre pantufa,

ataca uma presa imaginária.


Felina, que não cresceu,

é apenas,

(que é muito)

uma bichana tranquila.


Ama a lua e a noite,

ama o verde que reflecte em seus olhos,

quando debruçada numa janela,

ronrona ao ver os donos.


Cativa, catita,

cheia de silêncios e virtudes,

emana espiritualidade,

mistério e ternura.


Sua alma é feliz,

na liberdade,

assim se vê a felina satisfação.


Amante do nocturno,

saltando da sua lua,

da sua prezada liberdade,

rebolando,

correndo,

miando,

bamboleando-se por toda a casa,

encontra o seu merecido descanso,

no aconchego,

do meu abraço

e do meu regaço.


A gata desperta,

e o mundo pára

em sua contemplação.

2 comentários:

ZezinhoMota disse...

Linda bichaninha! A minha, a Kity, é branquinha e quando se apanha fora de casa é o vê-la a subir as árvores de fruto procurando as alturas. Enfim, é o poder das unhas e da sua leveza...

Fique bem e seja feliz.

ZezinhoMota

Sandra disse...

Os gatos são uma das minhas grandes paixões. Pela sua liberdade, beleza, sinceridade, equilíbrio e por tantas outras qualidades que nos ensinam a viver melhor e ponderar muitas vezes as nossas atitudes.
Obrigada uma vez mais.
Tudo de bom para si.